Autonoindica, B-side, Destaques
Deixar um comentário

A Ventilador de Teto é uma barbaridade

A banda Ventilador de Teto é nova no pedaço, literalmente, porque a gurizada é jovem. Composta por quatro meninos da Baixada Fluminense e com um EP tudo de show, o Desejo/Sufoco, eles entraram no cenário independente com críticas positivas sobre seu som e uma parte disso se deve à incrível Bárbara Martins, a mulher por trás de tudo o que eles fazem e a “opinadora” oficial da VDT.

E é sobre a banda, influências e Bárbara que eu e Isabelle Vímara conversamos com a ‘Ventilador’ lá em Duque de Caxias.


Vamos lá… Pergunta básica: quais as influências da banda?

VDT: Inicialmente, a gente fez um top 5 e tinha Velvet Underground, Bob Dylan, The Strokes, The Smiths e The Beatles.

O quão importante pra vocês é a questão da autenticidade? Porque dentro da cena existem muitas críticas sobre as bandas serem genéricas, não de uma forma negativa, claro. Mas qual o diferencial de vocês em relação a isso?

VDT: A gente copia tudo. Nada é original, é só você saber disfarçar, deixar as coisas entrelinhas. Acho que quando você copia uma coisa, tem como copiar descaradamente, mas botando uma dose de espaço em cima disso, adaptar pra sua realidade, dar um toque pessoal.

Se vocês fossem escolher uma banda, da cena ou não, pra abrir um show seria qual e por quê?

VDT: Tom Gangue, porque é a banda que quando a gente tá triste, deixa feliz. A Tom é diferente de tudo que tem no cenário independente. Eles querem fazer música pra gente dançar e a gente ama isso.

Quais são os próximos passos da banda?

VDT: No momento a gente tá coletando grana pra gravar nosso novo disco.

Qual a relação de vocês com o público feminino como indivíduos, não como musas inspiradoras?

VDT: A Ventilador tem a Bárbara, um “membro” primordial pra gente. Ela faz tudo relacionado ao marketing. 90% do clipe de “Desejo/Sufoco” foi ela quem fez. Ela fez nossas fotos novas, nossa camiseta e tudo o que a gente faz passa pela aprovação dela antes. Além do mais, a Bárbara não deixa a gente ser babaca, o que é o mais importante.

Focando na Bárbara agora. A gente quer saber qual a sua influência dentro da Ventilador de Teto, sua relação com eles no geral.

Bárbara: Eu sou amiga dos meninos e também faço comunicação, então passo pra eles tudo o que estudo pra eles melhorarem alguns aspectos da banda, tipo um editorial. Ajudo com a parte de divulgação, com ideias pra melhorar o alcance da VDT dentro e fora do cenário independente. Eu realmente acredito no potencial deles e tento auxiliar no que posso no sentido mais técnico, sempre fazendo eles melhorarem.


A Bárbara, além do marketing da banda e auxiliadora em grande parte das coisas da ‘Ventilador’, também faz as fotos de vários eventos da Valente Records, um selo fluminense que vem crescendo cada dia mais, e que conta com a Ventilador de Teto no casting.

Se depender desse suporte e de como as coisas estão andando pra Ventilador, no caminho deles só pode dar bom e torcemos muito pra isso, porque conteúdo, qualidade musical e um mulherão pra ajudar e torcer eles têm. E de sobra.